Navegam ao meu lado...

Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós.
Deixam um pouco de si. Levam um pouco de nós.
Antoine de Saint Exupéry

Translate to Arabic Translate to Bulgarian Translate to Simplified Chinese Translate to Traditional Chinese Translate to Croatian Translate to Czech Translate to Danish TTranslate to Dutch Translate to English Translate to Finnish Translate to French Translate to German Translate to Greek Translate to Hindi Translate to Italian Translate to Japanese Translate to Korean Translate to Norwegian Translate to Polish Translate to Portuguese Translate to Romanian Translate to Russian Translate to Spanish Translate to Swedish
Download this Cross-Cultural Communication Tool from Get International Clients

Cristo é a operação combinada — o encontro do finito com o infinito, tempo e eternidade se encontrando e se fundindo. Osho

TENHA UM TEMPO FELIZ!

"Diante da vastidão do tempo e da imensidão do universo, é um imenso prazer para mim dividir um planeta e uma época com você." (Carl Sagan)

EU ME SINTO GRATA E HONRADA...

EU ME SINTO GRATA E HONRADA...
...POR TODOS OS QUE AMOROSAMENTE SEGUEM ESTE BLOG!
"O ser integral conhece sem ir,
vê sem olhar e realiza sem fazer."

Lao Tzu

♥ BOM DIA ALEGRIA... BOM DIA SOL....a única sensação que tenho é que estou com os pés na areia...o resto de mim anda por aí em uma velocidade estonteante... e isso me dá ALEGRIA!!!

"Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos, e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores para o nosso planeta." autor desconhecido

POIS É...

POIS É...

"...Só aqueles que compreenderam que devem procurar o infinito, o ilimitado, o que está além do tempo e do espaço, se sentem vivos, porque a vida verdadeira é a imensidão, a eternidade. Nunca vos refugieis naquilo que é acessível, limitado: abarcai o infinito e a vossa alegria também será infinita. Será a felicidade, a luz, a força, o dilatar de todo o vosso ser." Omraam Mikhaël Aïvanhov

Pesquisar este blog

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Sophia_ a natureza feminina de Deus

"Eu sou a força suprema e ardente que emite todas as centelhas da vida.
A morte não faz parte de mim, embora eu a aceite, e em conseqüência
Sou provida de sabedoria bem como de asas.
Sou aquela essência viva e ardente da substância divina que jorra na beleza dos campos.
Eu brilho na água, eu queimo no sol, na lua e nas estrelas.
É minha aquela força misteriosa de vento invisível.
Eu sustento e alento tudo que vive.
Respiro no verde, e nas flores, e quando as águas fluem como coisas vivas, sou eu.
Ergo as colunas que sustentam toda a terra...
Sou a força que reside nos ventos, de mim eles se originam, e assim como um homem
consegue mover-se porque respira,
assim o fogo não queima a não ser com o ar por mim soprado.
Tudo isto vive porque estou em tudo isto e sou a vida.
Sou a sabedoria.
É minha a emissão do verbo proferido através do qual todas as coisas foram feitas.
Eu impregno todas as coisas para que não pereçam.
Eu sou a vida."
Sophia _ a natureza feminina de Deus


Hildegard von Bingen (1098-1179)
Santa da Igreja Católica, de origem germânica, em uma de suas visões místicas sobre Sophia, a natureza feminina de Deus. Escreveu música e textos em honra da Virgem Maria em canto chão (gregoriano) e antífonas. Escreveu ainda dois livros de visões Liber vitae meritorum (1150-63) (“Livro dos merecimentos da Vida”) e Liber divinorum operum (1163) (“Livro das Obras Divinas”). Publicou ainda Physica e Causae et Curae (1150), sobre história natural e sobre os poderes curativos de vários objetos naturais.


"Onde estiver o seu tesouro, aí estará seu coração"
"Jesus seria um "noivo celestial", assim como se tornou o amante espiritual de Santa Teresa D'Ávila e de incontáveis outros místicos muitos séculos depois. Presa à prisão tetermórfica dos quatro elementos composta de Terra (terror), Água (medo), Ar (tristeza) e Fogo (dissolução e corrupção). Sofia aguarda a vinda do libertador, que a exorciza das quatro emoções elementais cegas e assim a liberta da cruz do aprisionamento. Antes da vinda de Jesus, o Christos espiritual já havia iniciado o trabalho redendor, quando de forma mística ele apareceu a Sofia estendido na cruz transcósmica despertando-a para a consciência de sua condição e infundindo-lhe o desejo de ver o amado celestial.
Sofia em grego, "hohkma" em hebraico, "sapientia" em latim, tudo sigficando sabedoria. Como deusa da sabedoria, Sofia possui múltiplas faces: Deusa Negra, Divino Feminino, Mãe de Deus.
Sofia, o protótipo sofredor e esperançoso e o arquétipo da feminilidade agonizante e definitivamente liberada. Do glorioso reino da Luz, ela desceu para a alienação e o caos, foi afligida pelos terrores da servidão e da ignorância, mas invocando a Luz ela recebeu força e santificação através de sua união com Jesus, o noivo salvador e, levada por Sua Mão Divina, recuperou seu Trono da Sabedoria abandonado no reino dos Inefáveis. Como todos os autênticos mitos arquetípicos, a história de Sofia possui uma grandeza atemporal que a torna adequada e aplicável às preocupações de qualquer época e local. Este mito, como outros, fixa em formas palpáveis as realidades universais e arquetípicas que subjazem na experiência psíquica. A psicologia moderna cada vez mais tem reconhecido o imenso valor do imaginário e do pensamento mitológico para o propósito de auto-conhecimento e da verdadeira libertação espiritual na vida psíquica das pessoas e
uma relação consciente até com as camadas mais profundas da psique, pois elas fornecem formas e categorias de compreensão pelas quais se pode aprender e conscientemente perceber a natureza desses poderes transpessoais. O ego que não tiver essas categorias de compreensão será confinado ao nível mais superficial de significados pesonalísticos ou será levado pelas energias e forças arquetípicas a vivê-las inconscientemente.
Uma apreciação introspectiva da mitologia poderia realmente tornar-se importante modalidade de auto-compreensão, não somente em nível de psique individual, mas no interior da cultura mais abrangente propriamente dita.


Do ponto de vista psicológico, Sofia pode ser definida como a personificação da necessidade de individualização. Sua história segue o padrão clássico dos quatro estágios do drama grego: o conflito (AGONE), a derrota (PATHOS), a lamentação (THRENOS) e a redenção ou solução (THEOPHANIA) conseguidas com o contato com o Divino. Este padrão quádruplo é a manifestação, no drama, da imagem quádrupla da totalidade, o celebrado tetramorfo psicológico. Jung achava que o número quatro é representativo do objetivo de totalidade da alma, e descobriu que os quatro estágios são encontrados nos processos significantes de evolução psicológica em todos os processos psicoterapêuticos que envolvem uma profunda integração do inconsciente.
Assim como no processo de individualização, algumas expressões no mito de Sofia se repetem, embora seu caráter permaneça o mesmo.
De importância singular para a situação espiritual da mulher em nossos tempos é a mensagem do agone ou "conflito" inicial em nosso mito, com o acréscimo do subseqüente pathos. Porque Sofia é expulsa do estado paradisíaco de seu êxtase aiônico? O motivo é a separação de seu esposo e gêmeo luminoso conhecido pelo nome de Vontade.

A diferenciação do ego feminino traz consigo o megulho no inconsciente do componente psíquico contra-sexual, ou alma masculina da mulher, chamado na psicologia junguiana de "animus". O "animus" não se torna inexistente, mas, tornando-se inconsciente, pode exercer sua influência sobre a psique feminina nas zonas sombrias do inconsciente e sua influência acaba ficando distorcida. Quanto menos consciente a mulher é de seu "animus", mais maléfica e perigosa é a influência desse gêmeo obscuro. (É bom recordar que o homem experimenta uma situação análoga com seu próprio componente escondido, a "anima"). A separação entre Sofia e seu gêmeo coincide com seu esforço equivocado de obter a Gnose através do intelecto e da vontade em lugar da "gnosis kardias", o "caminho do coração que sabe".
Sofia, não é somente uma alma feminina, mas a alma de todas as coisas e pessoas. Todos nós estamos à procura da nossa totalidade. Assim como Sofia, vagamos pela face desta terra, nossa glória degradada e prostituída como a de Maria Madalena, enquanto através das regiões aiônicas desce "Aquele que sempre vem", nosso noivo divino, o Logos do mais alto Deus. Daí a theophania, a resolução divina do grande drama, estar sempre aqui e sempre lembrar aquilo que está simbolizado no mito de Sofia. Anima e animus, Eros e Logos, Madalena-Sofia e Jesus estão destinados a se unirem na câmara matrimonial da Alma. O Cristo que há em nós e a Sofia que há em nós são as esperanças gêmeas da glória, buscando um ao outro na ânsia sagrada do desejo divino. Os gnósticos foram talvez a única escola de pensamento na história da tradição ocidental a reconhecer este fato e a declarar essa tendência como processo intra psíquico
Podemos nos assegurar de que os meios de libertação estão ao alcance da mão e são disponíveis; na verdade, como já foi dito sobre a Divindade, eles estão mais próximos do que a respiração e mais ao alcance que nossos próprios pés e mãos. A verdadeira libertação do homem dentro da mulher e da mulher dentro do homem não poderá acontecer através da vontade consciente e do intelecto. A pressa conduz ao prejuízo, pois é testemunha das pressões impuras do ego não iluminado, conforme ficou simbolizado pela falta de sabedoria de Sofia antes de voltar-se para a Luz. Como diz Sófocles nas últimas linhas de Antígona:
"Onde estiver a sabedoria, a felicidade coroará uma piedade que nada destruirá. Mas palavras e atos altos e poderosos são castigados para aprenderem a ser humildes, até que a idade, caída de joelhos, finalmente seja a sabedoria".
Sofia, grávida do conhecimento, convida-nos para beber de sua taça da sabedoria. Entretanto, o maior problema das mulheres hoje, é não se permitir abrir-se para o novo, pode ser para uma chuva que cai descompromissada, para uma nova relação ou um novo conhecimento. Ficar parada é não correr risco, mas também a vida passará e você deixou de vivê-la.

É hora de reflexão, de silêncio e de introspecção. É hora de ouvir e sentir o que nunca ouviu ou sentiu. O tempo passa para todos nós, mas como gastá-lo é que faz a diferença.
É somente com a incerteza e o afastamento de tudo que nos é familiar que processa-se o crescimento espiritual e, em tais momentos, é que podemos avaliar profundamente nossas vidas. Nem toda nossa cultura oferece-nos a sustentação para aprofundarmos espiritualmente. Quando nos dedicarmos a ouvir a nossa Sofia interior, conseguiremos tudo o que precisamos.
Todos nós homens e mulheres, já reproduzimos ou ainda vamos reproduzir o caminho de Sofia, a eterna busca do sentido divino. Jesus disse: "Onde estiver o seu tesouro, aí estará seu coração". Sofia não buscava somente o sentido da busca, mas buscava também seu coração.
A figura de Sofia não desapareceu, ela permanece como a principal inspiração por trás de inumeráveis simbolizações místicas da sabedoria feminina através das eras. Sua mão oculta é vislumbrada no culto à Virgem Maria e nas musas femininas dos poetas sufis. Nossa Senhora Sofia com sua sabedoria de coração que compreende ainda está desperta!

Sofia é o mistério da vida
É o conhecimento do corpo e da alma
Sofia é sabedoria!


Rosane Volpatto
Bibiliografia:
'A Pistis Sophia Desbelada' Aun Weor, Samael. Ed. Agni.
O Novo Despertar da Deusa - Shirley Nicholson
A Grande Mãe Erich Neumann
www.rosanevolpatto.trd.br/deusasofia.htm
Colaboradora:
Graça Lenzi



* Todos os direitos reservados.
Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citada a autoria.
CAMPANHA DE DIREITOS AUTORAIS - APOIE E DIVULGUE ESSA IDÉIA
Bookmark e Compartilhe

12 comentários:

Samsara disse...

Olá Astrid

Que bom que estás de volta. Tens um selo Catita no blog para ti.

O que se passa com a Dinâmica do Invisível, não consigo entrar.

Muito beijinhos

Adelaide Figueiredo disse...

Olá Astrid,

Este texto tem mesmo a sabedoria divina!

Beijos

Maria Paula Ribeiro disse...

:) Assim está melhor! Voltou!!!!!!
De novo!!! lol lol

Já não passamos sem ti, reparou????

Beijo grande

Astrid Annabelle disse...

Olá Sam!!!
Já passei por lá, deixei comentários (dois) e peguei o selo Catita!!!!
Vou colocá-lo à mostra...quero fazer um slideshow como você fez!
Com o Dinamica está tudo bem GRAÇAS A DEUS...é com o Blogger que a coisa anda esquisita...tem horas que podemos comentar outras não! Tenta depois OK!
Um beijo grandão.
Astrid

Astrid Annabelle disse...

Olá Adelaide!
Sim é muito especial este post...por muitos motivos! Nas entrelinhas tem muita revelação oculta!!!Quem tiver olhos verá...quem tiver ouvidos ouvirá!
Um beijo.
Astrid

Astrid Annabelle disse...

ALô Maria Paula!!!
Eu é que não consigo viver sem vocês!!! São partes de mim!!!
Um beijo,querida!
Astrid

Anônimo disse...

Astrid!!
Fala para seus amigos que estão tendo problema em seus blogs para entrarem na internet pelo "Mozilla Firefox", só estou conseguindo ler seus posts e comentar graças a ele. Bjs...Luiz

Maria de Fátima disse...

Olá Madrinha Astrid que bom ver-te de novo por aqui.Belo e longo texto.Beijinhos.

FadaMoranga disse...

MA-RA-VI-LHO-SO!!!
Bem haja por isto, diz-me muito! :-))
Que bom te-la de volta!
Um graande beijo*de Fada

Astrid Annabelle disse...

Recado publicado Luiz.
Bjs.
Astrid

Astrid Annabelle disse...

Pois é Maria de Fátima!
Ando publicando textos longos...mas acontece e não é intencional...é assim e pronto!
Este texto tem um motivo oculto especial para quem conseguir entender! É um recado pessoal!!!
Um beijo gostoso para você.
Astrid

Astrid Annabelle disse...

Fada!
Sei que leu nas entrelinhas...recebeu a mensagem oculta?!
Grande aprendizado!!!
Um beijo grande
Astrid

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

FLORES SÃO SEMPRE UMA ALEGRIA...

FLORES SÃO SEMPRE UMA ALEGRIA...
imagem google imagens